Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cloud Berries

Cloud Berries

Panna Cotta de Café com Crocante de Avelãs e Canela

A culinária italiana é irresistível! Poderia falar das pizzas, massas, risotos... mas hoje trago-vos uma sobremesa!

A Panna Cotta é uma sobremesa tipicamente italiana, que é feita à base de natas fervidas. A versão mais simples inclui apenas vagem de baunilha para aromatizar.

Mas hoje vou fazer a receita do Gordon Ramsay, que é uma deliciosa Panna Cotta com café espresso e um crocante de avelãs e canela.

 

 

Panna Cotta:

 

400 ml de natas

75 ml de leite

50 ml de café espresso

3 folhas de gelatina

100 gr de açúcar

 

 

Método Tradicional

 

Coloque as folhas de gelatina num taça com água fria e deixe hidratar 5 a 10 minutos, até que estejam moles.

Coloque as natas, o leite, o café e o açúcar num tacho e leve a lume médio-baixo. Retire do lume assim que levantar fervura.

Remova as folhas de gelatina da água, eliminando o excesso de água e envolva no creme de natas, mexendo bem até dissolver.

Passe as forminhas por água fria, mas sem enxugar. Este processo irá facilitar na hora de desenformar as panna cottas.

Coloque o creme nas formas e leve ao frigorífico de um dia para o outro.

Na hora de servir, mergulhe as formas em água quente por uns segundos.

 

 

 

Yammi

 

Coloque as folhas de gelatina num taça com água fria e deixe hidratar 5 a 10 minutos, até que estejam moles.

No copo coloque as natas, o leite, o café e o açúcar e programe 10 min/ vel 1/ 100º C. Retire do lume assim que levantar fervura.

Remova as folhas de gelatina da água, eliminando o excesso de água. Com a máquina em funcionamento, junte a gelatina ao preparado das natas, através da abertura da tampa do copo de mistura.

Passe as forminhas por água fria, mas sem enxugar. Este processo irá facilitar na hora de desenformar as panna cottas.

Coloque o creme nas formas e leve ao frigorífico de um dia para o outro.

Na hora de servir, mergulhe as formas em água quente por uns segundos.

 

 

 

 

 

Crocante:

 

50 gr de avelãs tostadas

200 gr de açúcar

1 c. de chá de canela

 

 

Coloque o açúcar num tacho e leve ao lume até que o açúcar se dissolva e comece a caramelizar. Não utilize colheres neste processo. Se necessário vá agitando o tacho para que fique uniforme.

Quando tiver o caramelo estiver dourado, adicione as avelãs tostadas e a canela, agitando o tacho para envolver.

Forre um tabuleiro com uma folha de papel vegetal.

Verta o caramelo sobre o papel vegetal e deixe repousar até arrefecer por completo.

Quebre o crocante em pedaçose sirva juntamente com as panna cottas.

 

 

 

 

 

26992078_1573753186007751_4655381290831898387_n.jp

 

 

 

 

 

19260675_1573753216007748_1936161390475951902_n.jp

 

 

 

 

 

 

 

 

Sugestões de culinária italiana:

 

 

Pudim 3 Leites

A minha primeira experiência de pudim feito na varoma. Não podia estar mais satisfeita.

O leite de coco dá um toque especial a este pudim.

Esta receita foi adaptada do blog Culinária dia a dia.

 

 

 

Ingredientes:

 

6 ovos

300 ml de leite

300 ml de leite de coco

1 lata de leite condensado

1 1/2 c. de sopa de farinha maisena

 

 

 

Yammi:

 

Unte uma forma com caramelo.

No copo com a borboleta, coloque todos os ingredientes e programe 3 min/vel 4. Coloque na forma.

Lave o copo e coloque 1,5 l de água no copo.

Coloque a forma fechada na varoma (se não tiver tampa deve tapar bem com papel de alumínio), depois feche com a tampa da varoma. Se a tampa da varoma não fechar devido ao tamanho da forma, tape também com papel de alumínio e faça uns furinhos para sair o vapor.

Programe 50 min/ temperatura varoma.

Quando arrefecer coloque no frigorífico.

Sirva polvilhado com coco ralado.

 

 

 

 

 

20170130_220633.jpg

 

 

 

 

 

20170130_200356.jpg

 

 

 

 

 

20170130_200603.jpg

 

 

 

 

 

Dicas:

 

A minha forma não tinha tampa então tapei com papel de alumínio. Mas como tinha visto algumas dicas, por baixo do papel de alumínio, coloquei papel absorvente com cuidado de forma a absorver o excesso de humidade.

Quanto à varoma fechou perfeitamente então não precisei de tapar com alumínio.

O buraco da minha forma não é aberto, então decidi usar também a dica dos garfos para que seja mais fácil a circulação do vapor.

 

 

 

20170130_183928.jpg

 

 

 

 

20170130_183831.jpg

 

 

 

 

20170130_183748.jpg

 

 

 

 

20170130_183727.jpg

 

 

 

 

20170130_182213.jpg

 

 

 

Mousse de Chocolate (versão com natas)

Gosto muito de mousse de chocolate, mas não de qualquer uma. A receita que se fazia sempre cá por casa era com ovos e não era muito receptiva a novas receitas de mousse. Porque como se costuma dizer em equipa que ganha não se mexe.

 

Mas, quando estive de férias em Portugal a minha mãe tinha lá o livro da La Dolce Rita das Sobremesas 5-5-5 do qual esta receita faz parte. Como queria aproveitar o dia ao máximo e esta receita parecia mais rápida, dei-lhe uma oportunidade. E foi uma boa surpresa, porque a textura apesar de diferente fica muito esponjosa e saborosa.

 

 

 

Ingredientes:

 

200 gr de chocolate culinária

400 ml natas

 

 

Derreta o chocolate partido em pedaços e 200 ml de natas, em banho-maria. Mexa com uma colher até obter um creme uniforme e brilhante. Leve, por alguns minutos ao congelador.

Enquanto isso, bata os restantes 200 ml de natas até ficarem espumosas.

Envolva as natas no creme de chocolate.

Deite em tacinhas individuais ou numa taça grande e leve ao frigorífico.

 

 

 

 

20160811_141532.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Molotof com Doce de Ovos e Amêndoa Tostada

Para aproveitar as claras que sobraram do Pão-de-Ló de Ovar resolvi fazer um Molotof.

 

Curiosamente nunca tinha feito Molotof, esta foi a minha primeira experiência e correu lindamente.

Tinha um bocadinho de receio, depois de ver tantas pessoas dizerem que nem sempre corria bem. No final da receita irei deixar algumas dicas que considero ser a base do sucesso. Seguindo esses passos não tem como correr mal.

 

 

 

Ingredientes:

 

11 claras

11 c. de sopa de açúcar

1 c. de sopa de caramelo

Sal q.b

 

 

Método Tradicional:

 

Pré-aqueça o forno a 180.º

Bata as claras em castelo com uma pitada de sal. Quando as claras estiverem bem firmes vá adicionando o açúcar aos poucos sem parar de bater. Por fim, adicione o caramelo e continue a bater até que esteja bem envolvido.

Unte uma forma com caramelo.

Coloque colheradas de claras na forma e vá batendo com a forma na bancada para que perca todo o ar. Faça este processo até terminar de colocar todo o merengue na forma. 

Leve ao forno 11 minutos, após esse tempo mantenha o Molotof no forno pelo menos 30 minutos sem nunca abrir a porta do forno.

 

 

Yammi:

 

Pré-aqueça o forno a 180.º

Com a borboleta colocada, insira as claras e uma pitada de sal. Coloque a tampa sem o copo medidos e programe 8 min/vel 4. Quando as claras já estiverem firmes adicione o açúcar e o caramelo aos poucos programando mais 1 min/vel 4.

Unte uma forma com caramelo.

Coloque colheradas de claras na forma e vá batendo com a forma na bancada para que perca todo o ar. Faça este processo até terminar de colocar todo o merengue na forma. 

Leve ao forno 11 minutos, após esse tempo mantenha o Molotof no forno pelo menos 30 minutos sem nunca abrir a porta do forno.

 

 

 

Para a cobertura de doce de ovos eu fui preguiçosa e usei um doce de ovos em pó do Lidl da marca Deluxe que bastava juntar água. Mas pelo que percebi nem sempre existem estes produtos, depende da época do ano.

Mas podem ver a receita de doce de ovos. que uso normalmente, aqui.

 

A amêndoa levei uns minutinhos ao forno para tostar e dar uma textura crocante.

 

 

 

 

 

20161224_191514.jpg

 

 

 

 

 

 

Notas:

  • A quantidade de açúcar e o tempo de forno é igual ao número de claras usadas;
  • Certifique-se que as claras estão bem firmes e não existe líquido no fundo da taça;
  • Deve bater bem com a forma na bancada, para que perca todo o ar existente nas claras e não corra o risco do Molotof abater;
  • Durante o tempo de cozedura não pode nunca abrir o forno. E mesmo após esse tempo deve desligar o forno e manter o Molotof no forno durante pelo menos 30 minutos sem nunca o abrir para que não exista choque térmico;

 

 

Com todos estes passos não tem por que ter receio de fazer um Molotof, garanto que vai sair bem.

 

 

Tigelada

A tigelada é um doce típico da minha região. Nas festas tradicionais de Verão nunca falta tigelada na mesa.

Lembro-me desde sempre de ter este doce à mesa e de fazer as delícias de todos.

Para além de ser um doce tão característico da zona é daqueles doces que nos trazem muitas memórias, que nos remetem para um local. Talvez por isso, quando sai de casa este tenha sido daqueles doces que nunca tentei fazer. Porque ele representa tanto os meus regressos a casa. É lá que gosto de comer a tigelada e é la que me sabe bem. Mais do que um doce, são as memórias, o sentimento de férias e paz que sinto quando volto a casa.

 

Assim que cheguei a casa nas férias de Natal, já se fazia sentir o cheiro a tigelada no forno a lenha. Fazia parte da lista de coisas que tinha dito à minha mãe que queria comer. E é tão bom chegar e sentir logo um aconchego!

 

A receita que partilho hoje é a receita da minha mãe, receita que faz à muitos anos e que eu não troco por nenhuma outra.

Existem receitas que deixam a tigelada com uma consistência de pudim e aspecto uniforme. Com esta receita a tigelada fica com aspecto de favos e uma consistência mais leve. Provavelmente o segredo está mesmo no uso de forno a lenha.

 

 

 

Ingredientes:

 

1l de leite

10 ovos

350 gr de açúcar

 

 

 

Método Tradicional:

 

Coloque os ovos e o açúcar na taça e bata com uma vara de arames. Adicione o leite e volte a bater mais um pouco.

Coloque num tacho de barro e leve ao forno a lenha cerca de 3h.

O ideal é a tigelada ser confeccionada num forno a lenha bem quente para que ganhe a crosta tão característica. Mas, como já não é tão usual ter fornos a lenha pode usar o forno eléctrico a 200º C.

Para verificar a cozedura da tigelada use um palito, que deverá sair "seco".

A tigelada é servida no tacho onde foi cozinhada. É normal formar uma espécie de água no fundo.

 

 

Yammi:

 

No copo com a borboleta, coloque o açúcar e os ovos e programe 3 min/vel 4.

Adicione o leite e programe 2 min/vel 4.

Coloque num tacho de barro e leve ao forno a lenha cerca de 3h.

O ideal é a tigelada ser confeccionada num forno a lenha bem quente para que ganhe a crosta tão característica. Mas, como já não é tão usual ter fornos a lenha pode usar o forno eléctrico a 200º C.

Para verificar a cozedura da tigelada use um palito, que deverá sair "seco".

A tigelada é servida no tacho onde foi cozinhada. É normal formar uma espécie de água no fundo.

 

 

 

 

 

20161224_190616.jpg

 

 

 

 

 

20161224_190613.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arroz Doce na Yammi

Até hoje sempre tinha feito esta receita de arroz doce. Mas como estava com preguiça, resolvi colocar a yammi a trabalhar. Depois de pesquisar algumas receitas de arroz doce na Yammi, resolvi fazer uma adpatação das várias que encontrei. E resultou num arroz doce muito cremoso e saboroso.

 

 

 

Ingredientes:

 

200 gr arroz carolino (usei especial para arroz doce)

200 gr de açúcar

1.5 l de leite

4 gemas

1 pau de canela

1 pitada de sal

Zeste de 1/2 limão

 

 

Coloque no copo o leite, o arroz, a zeste de limão, o pau de canela e a pitada de sal e programe 35 min/ 90º C/Vel 2 na Rotação Inversa.

Retire a tampa, envolva com a espátula e verifique a cozedura do arroz. Caso seja necessário programe mais tempo.

Num recipiente à parte envolva as gemas com o açúcar e adicione um pouco do leite que está no copo, de forma a temperar as gemas para que não cozam.

Programe 12 min/ 90º C/Vel 1 na Rotação Inversa e, com a máquina em funcionamento, verta pelo orifício da tampa a mistura das gemas.

Retire o pau de canela e a zeste de limão e coloque em taçinhas individuais ou numa travessa.

Sirva polvilhado com canela.

 

 

 

 

 

24201342_1524117500971320_1098587908_o.jpg

 

 

 

 

 

Panna Cotta de Coco com Maracujá

Dizem que é uma sobremesa típica de Verão. Para mim sabe bem em qualquer altura

 

Muitas vezes me queixo que não consigo encontrar aqui muitas das coisas que gosto de comer, mas a Panna Cotta posso dizer que foi das melhores que já comi. A maioria dos restaurantes tem influência Italiana, e por isso, o que nunca falta na carta é Panna Cotta e Tiramisù. E eu sou fã de ambos, mas como já vos deixei a receita do Tiramisù, hoje vou falar-vos da Panna Cotta.

 

A versão que vos deixo hoje é um pouco diferente da original, mas a combinação de sabores e texturas resulta muito bem. E o difícil mesmo é não comer tudo de seguida

 

 

 

Ingredientes:

 

1/2 l leite coco

1/2 l de natas

125 gr de açúcar

1 vagem baunilha

4 folhas de gelatina

 

4 maracujás

125 ml sumo de maracuja

50 ml de água (apenas use água se usar sumo de polpa)

4 c. de sopa de açúcar

1 folha de gelatina

 

 

Coloque as folhas de gelatina numa taça com água para hidratarem.

Num tacho, coloque as natas, o leite de coco, o açúcar e as sementes da vagem de baunilha.

Leve a mistura ao lume, mexendo sempre. Quando começar a levantar fervura, desligue e retire do lume.

Adicione as folhas de gelatina e mexe muito bem até estarem dissolvidas.

Coloque o preparado em taças ou copos de frio. Leve ao frio, pelo menos umas 4h antes de colocar o topping de maracujá.

 

 

Para preparar o topping de maracujá comece por colocar a folha de gelatina numa taça com água fria.

Retire a polpa dos maracujás e coloque num tacho. Adicione o sumo de maracujá, a água e o açúcar e leve ao lume, mexendo sempre. Quando começar a levantar fervura, desligue e retire do lume.

Adicione as folhas de gelatina e mexa até estarem dissolvidas.

Quando estiver frio, coloque sobre a panna cotta e volte a levar a sobremesa ao frio durante 12h.

 

 

 

 

20161116_211823.jpg

 

 

 

 

 

20161116_184141.jpg

 

 

 

 

20161116_230827.jpg

 

 

 

 

20161116_211749.jpg

 

 

 

 

20161116_211811.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Pudim Boca Doce de Chocolate com Creme de Baunilha

Existem receitas que por mais simples que sejam me fazem lembrar a infância. Os pudins boca doce são daquelas sobremesas que me trazem muitas memórias.

 

O creme de baunilha é de compra, ideal para os dias de preguiça. Aproveitei o facto de ter comprado o creme de baunilha para usar com morangos e usei também com o pudim boca doce de chocolate.

 

A combinação do pudim de chocolate, com a cremosidade do creme de baunilha resultou muito bem.

 

 

 

Ingredientes:

 

1 boca doce de chocolate

4 c. de sopa de açúcar

500 ml de leite

Creme de baunilha

 

 

Método Tradicional

 

Faça o pudim boca doce conforme as instruções e distribua por taças.

Quando estiver frio, regue com o creme de baunilha.

 

 

Yammi

 

Coloque no copo o leite, o açúcar e o preparado de pudim boca doce. Programe 12 min/90º C/ Vel 2.

Distribua por taças e deixe arrefecer.

Regue com o creme de baunilha.

 

 

 

 

20161008_174934.jpg

 

 

 

 

20161008_174735.jpg

 

 

 

 

20161008_174806.jpg

 

 

 

 

20161010_212358.jpg

 

 

 

Leite Creme

Uma sobremesa muito simples e que se presta a várias versões.

Simples, queimado ou com canela, faz as delícias de todos.

 

 

Ingredientes:

 

1l de leite

180 gr de açúcar

6 gemas

3 c. de sopa de farinha maisena

3 cascas de limão

1 pau de canela

 

 

Numa tigela misture as gemas com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Adicione a farinha maisena e envolva novamente. Adicione o leite e misture bem.

Coloque o creme numa tacho com a casca de limão e o pau de canela e leve a lume brando sem parar de mexer (aproximadamente 10-12 minutos).

Quando atingir o ponto de estrada, retire do lume. Retire as cascas de limão e o pau de canela e distribuia por taças.

 

Se optar por colocar canela, deve fazê-lo enquanto o creme estiver morno. Deste modo absorve mais o sabor.

Se quiser torrâ-lo, deixe arrefecer. Cubra com açúcar e queime com o maçarico.

Neste leite creme, optei por uma versão diferente do tradicional, coloquei raspas de trufa.

 

 

 

20160907_192951.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arroz Doce

Quando vim viver para a Noruega, a comida foi uma das muitas coisas que senti falta. Foi nesse momento que decidi experimentar algumas daquelas receitas que estavam reservadas apenas para a minha mãe.

O arroz doce era uma delas. Por muito que tentasse nunca ficava igual, nunca tinha o mesmo cheio e sabor. Porque mais do que uma sobremesa, eram memórias.

Agora que estou longe não tinha alternativa, senão tentar de novo. Pedi a receita à minha mãe, escrevi todas as dicas e voilá não sei se pelas saudades ou pelo esforço, ficou maravilhoso.

 

Já não tem desculpas para não experimentar.

 

 

Ingredientes:

 

1 chávena de arroz

1 chávena de açúcar

1 casca de limão

1 pau de canela

1 emb. de preparado de leite creme (usei apenas 2/3)

1 pitada de sal

1.5 l de leite

1 chávena de água

 

 

Coloque a água, uma pitada de sal e o arroz num tacho e leve ao lume. Deixar cozer durante breves minutos.

Num outro tacho coloque o leite, o pau de canela e a casca de limão. Leve ao lume até aquecer o leite.

Quando o arroz tiver absorvido a água, junte o leite, pouco a pouco. Deixe cozinhar cerca de 40 minutos.Convém ir mexendo regularmente para não agarrar.

Dissolva o leite creme e o açúcar numa tigela, juntamente com um bocadinho de leite.

Quando o arroz estiver quase cozido, adicione o preparado anterior, sem parar de mexer. Deixe levantar fervura.

Retire a casca de limão e o pau de canela e sirva o arroz em tacinhas polvilhado com canela.

 

 

 

 

 

20161224_190804.jpg

 

 

 

 

 

 A foto não é das melhores, mas garanto que o sabor está maravilhoso.